-

corra, monique, corra!

"Se não puder voar, corra. Se não puder correr, ande. Se não puder andar, rasteje, mas continue em frente de qualquer jeito."
Martin Luther King Jr.

Quem me conhece sabe que durante boa parte da minha vida, me esforcei para fugir das aulas de Educação Física. Somente o pensamento de correr, suar, me sujar ou machucar era exaustivo. Apesar de ter feito algumas tentativas de me tornar um ser humano mais esportivo, nunca pensei que um dia encontraria prazer nisso.

Nem preciso dizer que tudo mudou quando descobri o Muay Thai.

Com a predisposição genética para artes marciais – meu pai era professor de karatê – logo fiquei interessada pelo esporte e em 2011 comecei a treinar oficialmente.
Cá entre nós, não existe sensação que se equipare a chutar um saco de areia. Toda aquela raiva e angústia diária pareciam se esvair quando eu tirava meus sapatos e me preparava para treinar.

Só que eu odiava correr durante quinze minutos antes de começar a socar/chutar as coisas.
Odiava com toda a força do mundo.


Eu parava, andava mais devagar, perdia o fôlego, sentia dores, chorava...era um inferno! Mas que tipo de lutadora eu seria se não tivesse resistência física?
No fim das contas, deixei a preguiça me vencer e acabei desistindo do Muay Thai. Eu nunca seria ágil o suficiente para lutar de verdade. Sedentarismo wins – flawless victory!

Felizmente, resolvi mudar de ideia e decidi que quero voltar a praticar Muay Thai. Não quero ser uma lutadora profissional – Deus sabe que eu sairia chorando após o primeiro soco bem aplicado no meu rosto – porém, mais que tudo, quero ter resistência.
E foi por isso que eu comecei a correr.

Há três semanas venho correndo no mínimo 4km diários – e já cheguei a 10km em um belo dia – e nunca me senti melhor. Sei que minha saúde está melhor, meu sono está mais pesado e minha respiração está controlada.
Tudo graças à minha corrida diária.


No começo foi quase impossível e sinceramente, ainda não acredito que estou acordando absurdamente cedo para correr. Há momentos em que eu penso em desistir ou tento me sabotar...Mas não deixarei que o sedentarismo me vença novamente.

Uma das minhas metas era trocar de faixa no Muay Thai – eu ainda desejo isso – porém, decidi que até o ano que vem correrei uma maratona completa.
Sei que é muito ambicioso e as pessoas passam anos se preparando para maratonas, mas sinto que preciso almejar grandes feitos para me manter motivada.

Nem preciso dizer que no final das contas, minha visão sobre esportes mudou completamente. Toda essa endorfina correndo loucamente pelo meu corpo é o que me mantém inspirada atualmente. É o que me faz acreditar em todos os sonhos e metas que tenho.

Imagens: Giphy e Shutterstock
Mia Fernandes
Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger