-

motivos para assistir ao chelsea show


Nós, brasileiros, não somos de ver atrativos em talk shows, e a própria TV brasileira sabe disso. Não à toa, não temos mais do que uma opção de talk show BOM por aqui, e mesmo esse não é do tipo que lota o YouTube com vídeos memoráveis de respostas inesperadas ou com super astros de Hollywood dando o seu melhor durante um desafio de dança. Além do mais, todos eles são transmitidos tarde demais, num dia em que queremos fazer ~outras coisas~, e não assistir TV.

Claro que estou falando de dormir.

Eu não fujo a essa regra. Quando penso em talk shows, penso em programas de entrevistas vazios que não vão me ensinar nada, e os poucos vídeos que vi de programas do tipo – e estou falando dos programas americanos – não me fizeram perder esse pensamento. Se você tem um ídolo e quer saber um pouco mais sobre ele, além do que ele já compartilha no seu Instagram ou no Twitter, talvez veja algo de útil neles. Mas duvido que acompanhe o programa além disso.

Mas então por que de repente eu achei que fosse uma boa ideia assistir assiduamente ao talk show da Chelsea?

Aqui vão os meus motivos.

O Chelsea Show é divertido!
Argumento que pode até ser um pouco manjado, mas que tem o seu fundamento.
Independente de quem for o convidado – um ator famoso que está lá para divulgar um filme, uma alpinista que subiu o Everest sem auxílio de oxigênio extra ou um comediante who que você não faz ideia de quem seja –, ela vai dar um jeito de fazer a coisa ser divertida. É hipnotizante.

Até porque a Chelsea é tipo aquela sua tia solteirona que você não vê a hora de chegar pra ceia de Natal, porque sabe que, quando ela abrir a boca, mesmo que ligeiramente, você vai abrir a sua para rir – ou até gargalhar. E o mais engraçado disso tudo: às vezes, mesmo quando não diz nada, ela consegue ser engraçada. Isso é mágico.

E sabe o que é melhor? O programa não se resume SÓ a entrevistas. Não sei se isso é comum a outros talk shows, mas nesse a Chelsea se submete às mais diversas experiências, que vão desde ir ao Japão descobrir o que é ser uma Harajuku, passando por uma clínica de emagrecimento que acredita que pode te fazer perder uns quilos ao congelar o seu corpo, até uma ida a um desses acampamentos que te expõem ao limite do esforço físico com a ajuda de muita lama. Muita lama mesmo.



E a Chelsea está sempre devidamente acompanhada da sua equipe de produção que, assim com ela, é também divertida! Todos são ótimos personagens dessa grande empreitada, o que me leva a crer que deve ser pré-requisito para fazer parte do show ter um pouco de senso de humor, e eu acho isso ótimo!
Falando assim, posso fazer parecer que o programa é uma grande palhaçada, mas acredite em mim quando digo que...

O Chelsea Show também pode ser sério
O que é fascinante!
Imagine você como pode ser interessante uma entrevista bem humorada sobre um assunto sério. Existe maneira melhor de aprender sobre a lua, seus movimentos, sua influência na Terra e o que mais for, senão com uma pitada de humor? Eu duvido.

E mesmo que você não se importe muito com conhecimentos gerais, a Chelsea e a sua produção se preocupam em fazer críticas, e essas são críticas pertinentes, diga-se de passagem. É como se a Chelsea não quisesse só encher o seu bolso de dinheiro com o programa (embora eu acredite que isso seja um fator motivador, sim), mas também quisesse mudar o país e, quem sabe?, o mundo no qual vive com a sua influência e com uma boa quantidade de ótimos argumentos. Por isso, talvez possa lhe ser um pouco estranho saber que...

O Chelsea Show também trata de política
E eu não vejo como eles poderiam evitar o assunto.
A Chelsea, assim como uma boa parte dos americanos (assim esperamos), não quer Donald Trump como o próximo presidente dos Estados Unidos, e a cada novo programa ela não deixa que ninguém se esqueça disso. Talvez o assunto surja em pauta com algum dos seus convidados, mas, mesmo que isso não aconteça, a produção prepara esquetes sobre o tema.



E elas são sensacionais! Vão desde uma reunião com idosos até com os membros de uma tradicional igreja frequentada, em sua grande parte, por negros para saber o que ambos os grupos pensam sobre os atuais candidatos à presidência. Nem as crianças se livraram da sua curiosidade em um dos episódios, e, muito embora o encontro com elas tenha tido a sua cota de seriedade, com crianças de opinião formada dizendo aquilo que nós, cidadãos do mundo, esperamos que elas digam (que o Trump é um babaca!), é claro que não daria pra evitar por muito tempo que elas debandassem para outros assuntos mais aleatórios, como Minecraft, por exemplo.
Em falar em crianças, é em cima da história de uma que...

O Chelsea Show trata sobre questões sociais
E não sobre aquelas que os programas matutinos e feitos para famílias tradicionais estão esperando que ele aborde.
Estou falando sobre mostrar a vida de uma criança que não se apega a gêneros e, muito embora goste de se identificar como menino, também ama vestir roupas de menina. E gosta de maquiagem, também (apesar de não saber usá-la muito bem – e a Chelsea jamais me deixaria mentir sobre isso). Então fica a questão: que outros programas que assistimos (ou não) teria coragem de abordar esse tema tão polêmico?

É até comum que personalidades influentes falem sobre homossexualidade (e elas não voam mais alto do que isso), mas falar sobre gênero desse jeito, com um exemplo prático, de maneira didática, eu não me lembro de ter visto falarem. Tampouco em um talk show. É um assunto complexo, desconhecido pela maioria massiva e que precisa de atenção.
Lembra-se de quando eu disse que não me atraíam os talk shows por-que tinha medo de não aprender nada com eles? Pois bem. Aqui eu aprendi algo!
E uma vez com a lição aprendida, acho que é possível se permitir um pouco de distração com banalidades, como um simples jantar repleto de...

Convidados famosíssimos em sua forma mais natural!
Não sei se essa ideia é inovadora, mas um dos quadros mais fascinantes do Chelsea Show é justamente os jantares em que ela convida famosos (famosíssimos!) para um jantar em sua própria casa para tratar de um tema específico.

O primeiro deles foi uma conversa com parte do elenco do filme Guerra Civil. Ver o Chris Evans e seus colegas de encenação em uma situação tão primata quanto um ritual de alimentação é curioso e pode render conversas hilárias! É quase como se eu e você (se estivéssemos diante da mesma tela) pudéssemos fazer parte daquele jantar também.
E é claro que em algum momento a conversa deixaria de ser sobre os heróis criados pela Marvel, e são em momentos como esses que enxergamos personalidade e humanidade em ídolos que, normalmente, vemos como mitos.



E o que falar do jantar que reuniu Kate Hudson, Mayim Bialik e outras personalidades da televisão para falar um pouco sobre maternidade? Para aqueles que só estão acostumados a ver astros de Hollywood falar sobre seus trabalhos exaustivos e super bem remunerados em filmes de enorme orçamento, pode ser estranho vê-los em roupas absolutamente comuns enquanto divagam sobre como é bom ter filhos (o que [Spoiler alert!] é um pesadelo para a Chelsea, defensora assídua da opção de não ter filhos em momento nenhum!), mas é uma estranheza divertida, vai por mim.

Aliás, você sabia que a Megan Fox manja de fazer mapas astrais? Não? É, eu e a Chelsea também não sabíamos, e foi num dos episódios de Chelsea Show que ela e eu ficamos sabendo disso. E foi surpreendente, especialmente pra Chelsea, que foi quem teve toda a vida descrita me um desses mapas.

São ótimos motivos para acompanhar um talk show, e posso até afirmar que citei nesse texto um para cada tipo de pessoa que existe no mundo. Se é distração ou aprendizado o que procura, o programa pode te fornecer ambos. A risada, então, é cem por cento garantida. A informação também, e acredite em mim quando digo que a Chelsea pensa exatamente como você sobre a maioria dos assuntos.
(Talvez não sobre todos, mas se não são nossas diferenças que fazem a humanidade tão fascinante, o que seria, então?)

Agora, caso eu não tenha sido convincente o suficiente até aqui, tenho certeza de que essa carta na manga será por mim:

O Chunky!
Que outra apresentadora de talk show tem um companheiro tão fofinho de tudo quanto esse? Não consigo me lembrar de nenhuma.


Então caso queira simplesmente ignorar tudo o que os convidados estão falando, preste atenção no Chunky. Garanto que a carinha dele estará fofinha assim sempre! ♥


Mia Fernandes
Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger