-

o guia da procrastinação inteligente


Por mais que eu bata na tecla da importância de ser produtiva, não serei hipócrita ao ponto de negar que sou uma forte adepta da procrastinação. Foram inúmeras as vezes em que posterguei alguma tarefa importante e passei horas entretida em qualquer atividade que sugou todas minhas horas úteis para dentro de um buraco negro.

Como toda boa procrastinadora, eu sempre me senti culpada por todo o trabalho que ignorei em prol de horas de “lazer sem sentido”. Entretanto,  alguns dias depois, eu estava novamente engajada nesse ciclo vicioso brilhantemente ilustrado, aqui:

Após um tempo, aprendei a aceitar que momentos assim sempre existirão. Não adianta negar e muito menos fugir da minha real natureza de mutante bicho preguiça/humana. Como a boa pessoa metódica que sou, resolvi aperfeiçoar essa técnica milenar do “deixar pra depois”.

Sim, agora eu me considero uma profissional da procrastinação e estou aqui para dividir os meus segredos. Hoje nós iremos aprender como:

✓ Evitar as responsabilidades;
✓ Diminuir sua culpa;
✓ Encontrar produtividade até mesmo nos momentos de procrastinação.

O primeiro passo é encarar a realidade: seja lá qual for a sua responsabilidade, você a evitará. Sem grilos e sem desculpas. Pare de se torturar no processo de só vou fazer mais essa coisinha e aí darei atenção para o que é sério.
Eu sei que isso é uma mentira. Você sabe que isso é uma mentira. Pare de mentir para você!
É possível deixar essa tarefa para outro momento? Então, simplesmente deixe e pare de encontrar desculpas mirabolantes para postergar.

Eu sei que lidar com a culpa de não fazer nada é excruciante, mas é aí que entra o meu plano infalível. Primeiro, faça uma lista destacando as atividades que você precisa fazer durante o dia.
Para melhor visualização, separe o que é prioridade do que não é. Use a minha listinha como exemplo:




Agora é a hora de encarar a realidade: por maior que seja a lista de suas responsabilidades, você realmente acha que pode deixar tudo isso para outra hora? Ótimo! Então, seja bem-vinda à incrível ilha da procrastinação!

Mas ao invés de focar nessa extensa lista de afazeres, você talvez possa começar por tudo aquilo que não é tão urgente. Faça as unhas! Vá terminar de ler seu livro! Preencha esse tempo com alguma atividade mais atraente do que ficar sentada pensando em tudo o que você não está fazendo. 

Para te ajudar, fiz uma lista de coisas relativamente produtivas para ocupar sua mente durante as horas de preguiça:
  Terminar de assistir a temporada do seu seriado favorito.
  Desembaraçar o pelo do seu cachorro/gato.
  Separar a roupa suja da roupa limpa.
  Colorir todos aqueles livros com mandalas, flores e florestas que você comprou e ainda não começou.
  Organize seus livros por ordem alfabética, autores ou cores.
  Comece um diário e escreva sobre os seus sentimentos.
  Assista os vídeos antigos do seu YouTuber favorito.
  Após anos de erro e tentativa, aprenda a coreografia inteira de Single Ladies/Show das Poderosas.

Porém, por mais que você ignore as tarefas importantes, elas simplesmente não vão desaparecer. Evitar responsabilidades é uma das disciplinas que você adquire na adolescência e aperfeiçoa na vida adulta. Entretanto, não se esqueça: 90% da sua lista de tarefas é constituída por itens que somente você poderá fazer. Não espere nenhum milagre divino!

Para encerrar o post, selecionei algumas dicas para quando a preguiça passar e o desespero bater. Ser responsável não precisa ser tão assustador quanto parece. Olha só: 

1. Respeite os prazos
Você tem um trabalho escolar para fazer? Não conte com o bom humor do seu professor para prolongar o prazo de entrega. Se a data limite é segunda-feira, respeite isso. Se for preciso, vire a madrugada e sobreviva de energéticos no dia seguinte.

2. Será que é preciso postergar a tarefa?
Ao invés de deixar o seu dever para o outro dia, tente distrair a cabeça e retome a atividade em um horário diferente. Muitas vezes, tudo o que precisamos para encontrar "inspiração" é buscá-la em outro lugar.

3. Faça aos poucos
Ao menos que você já esteja em cima do seu prazo, uma ótima ideia é tentar fracionar seus afazeres de modo que não se sinta sobrecarregada. É muito melhor fazer "uma linha" por dia do que simplesmente ignorar tudo e esperar que a tarefa se autocomplete.

4. Conheça os seus horários produtivos
Geralmente, sou incrivelmente produtiva na parte da manhã. Após o almoço, não existe responsabilidade que me fará terminar algo e isso é um fato. Gosto de resolver tudo que é mais importante pela manhã e deixar coisas mais simples para serem resolvidas durante o restante do dia.

Agora, eu quero saber: você é procrastinadora? Como você faz para lidar com a culpa do "deixa pra depois"? Me conte tudo nos comentários!

Mia Fernandes
Comentários do Facebook
0 Comentários do Blogger