-

como lidar com um amigo com depressão


Olá!

Se você está lendo esse post, imagino que neste momento esteja tentando descobrir a melhor maneira para se relacionar com um amigo depressivo. Lembrando que depressão não é sinônimo de uma tristeza comum/chateação passageira. Por diversos fatores biológicos e psicológicos, seu amigo está mergulhado em um estado de apatia/letargia que vai muito além do controle.

Quando fui diagnosticada com depressão, meu maior medo era falar abertamente sobre isso com as pessoas ao meu redor. Os cenários em que eu era obrigada a discutir o meu estado, geralmente eram acompanhados das seguintes frases:
- Você não pode estar deprimida. Pessoas deprimidas não fazem coisa X ou Y.
- Você não tem motivos para estar deprimida. Existem crianças morrendo de fome na África/países em guerra/insira aqui a maior desgraça que está ocorrendo na atualidade.

Dos mais otimistas, eu constantemente ouvia:
- Sai dessa! Vamos sair, beber, você vai melhorar! Levanta dessa cama, olha o dia lindo que está fazendo lá fora! Você consegue! + outras mil palavras de ordem com muitos pontos de exclamação.


Sei que não era a intenção de ninguém, porém, tais afirmações me faziam sentir 10000x pior.
Resumindo o samba: eu sempre optei por ficar quieta e não deixar que as pessoas tivessem conhecimento dessa parte da minha vida. Mas às vezes é impossível conseguir manter quem se importa contigo longe da verdade.

Existe uma probabilidade grande que seu amigo também esteja preso no mesmo tipo de pensamento. Se você detectar qualquer comportamento que possa indicar uma depressão, é importante respeitar o espaço dele e deixar que ele tome a decisão de ser sincero contigo.

Relembre (sempre que necessário) ao seu amigo o quanto ele é importante em sua vida e que você sempre estará lá para ouvi-lo sem nenhum julgamento.Tente escutar tudo o que ele tem para dizer e nunca diminua ou faça pouco caso do que seu amigo está sentindo.

Quando o seu amigo se abrir e a palavra depressão aparecer na conversa, é importante que você o incentive a procurar ajuda profissional.

Eu sei que sua primeira reação deve ser: eu não posso ficar aqui sentada e deixar meu amigo passar por isso sozinho. Por isso é extremamente importante que você o incentive a procurar um profissional: ele poderá diagnosticar o seu amigo corretamente e encontrará o tratamento mais apropriado.


Infelizmente, não existe uma receita de bolo para como lidar com um amigo com depressão. Pensando nisso, elaborei uma lista dos conselhos básicos para alguém que está nessa situação:

- Lembre-se: você não é o responsável pela cura do seu amigo.
Então, não precisa se esforçar constantemente inventando mil programas malucos para tirá-lo do estado depressivo. Esteja presente quando for preciso e saiba quando a solução não está ao seu alcance.

- Não estimule o vício do seu amigo.
Durante o processo de tratamento, é vital que seu amigo se mantenha longe de bebidas alcoólicas e outros tipos de drogas recreativas. Um dos poderes que a bebida tinha era "anestesiar" os sintomas da depressão durante algumas horas, entretanto, quando eu saia do estupor do álcool, geralmente enfrentava crises horríveis e que sempre se tornavam mais complicadas de se superar.

- Não ignore pedidos de ajuda.
Caso seu amigo inicie uma conversa em que dê algum indício de um comportamento suicida, interfira imediatamente! Vá para perto dele e o incentive a procurar seu terapeuta/psiquiatra no mesmo instante.

- Comemore as pequenas coisas.
Na depressão, cada pequeno passo deve ser visto como uma grande vitória. Sempre que seu amigo se sentir bem por alguma atitude que ele tomou durante esse processo, lembre-se de celebrar junto com ele. Não deixe que ele esqueça que grandes mudanças sempre começam com pequenas atitudes.

- Cuide de você.
O que você está fazendo para ajudar o seu amigo é incrível, mas não esqueça das suas necessidades. Se afaste um pouco, veja outras pessoas, se dedique aos seus hobbies e faça tudo o que puder para se sentir ainda melhor e mais disposto.

Por fim, seu amigo não está sozinho e você também não. Existem diversos grupos de apoio aos amigos e familiares (tal como a ABRATA). É importante ter um espaço para compartilhar experiências e conhecer outras pessoas que estão na mesma posição em que você se encontra.

Espero que esse post tenha sido útil para quem chegou até aqui em busca de uma resposta. Caso você tenha alguma dúvida, deixo aqui o meu e-mail para contato: conversaimaginaria@gmail.com.
Mia Fernandes
Comentários do Facebook
1 Comentários do Blogger