-

música: estou ouvindo #2


Alor, bonitas! 

Como vocês estão? Todas no ritmo de Copa festa que balança o coração? Espero que estejam curtindo tanto esta época como eu. É uma ótima oportunidade de rever amigos distantes, tomar uma brejinha e curtir um futebol. Por mim, poderia ter Copa do Mundo todo santo ano (de preferência, sempre no Brasil). 

Pra dar uma quebrada no seu feed verde e amarelo, tô aqui pra falar sobre o que ando ouvindo (e curtindo muito). Desde que comecei a usar o Spotify, ele está sendo um aliado incrível em uma das minhas tarefas favoritas: descobrir novos artistas. Resolvi compilar este apanhado de ~maravilhas~ pra compartilhar com vocês. Espero que curtam =) 

Se ao contrário de mim, você está ligado nos hits e etc, já deve ter se surpreendido cantarolando I'm so fancy, you already knoooo-ooow. Vou deixar minha opinião pessoal sobre a artista de lado (vou deixar este link aqui para que vocês façam sua própria avaliação) e tentarei falar somente sobre a música dela, ok?

Caso você me conheça um pouquinho, logo vai sacar que meu conhecimento da cena ~rapper~ é -3. Vez ou outra surge um artista que curto muito (alô Childish Gambino), mas raramente encontro um artista que realmente faça com que eu mergulhe no ritmo de cabeça.

Aí apareceu esta australiana branquela e de repente, eu já estava curtindo todas suas músicas e indo atrás de outras rappers mulheres e adorando tudo!

Apesar de ser uma douchebag de marca maior (desculpa, não resisti), preciso confessar que tô adorando o CD de estreia da moçoila: The New Classic, tal como o título acusa, já é um clássico. 


Quando é que eu vou parar de tagarelar sobre RuPaul's Drag Race e suas respectivas drag queens? A resposta para esta questão é: NOT TODAY, SATAN! NOT TODAY!

Se você leu meu último post, já deve estar por dentro da minha mais nova obsessão: este lindo mundo de paetês das drags. Como já comentei no supracitado post, uma das minhas queens favoritas é a Adore Delano, que além de fofa, tem um vozerão e esta vibe de ~próxima Lady Gaga~ só que com mais talento.

Vem ouvir o Till Death Do Us Party, CD de estreia desta bonita e se jogar na buatchy comigo: 




Fuçando nas playlists da Lorde, me deparei com a lindíssima Feel Real e logo fui atrás para saber um pouco mais do londrino Daniel Woolhouse, mais conhecido como Deptford Goth. O rapaz era um professor do ensino fundamental pela manhã e a noite, se aventurava na gravação de seu primeiro álbum.

Creio que de todas as recomendações aqui, esta é a que tem mais a minha cara: letras obscuras e uma pegada gostosa de dream pop, transformam o Life After Defo em um dos meus CDs mais ouvidos ultimamente.



Infelizmente, esta banda não ganha nem metade da adoração que merece. O Pitchfork, um dos meus sites favoritos, foi lá e deu uma ingrata nota 3.0 para este quarteto da Georgia. Merece? Ao meu ver, definitivamente não. 

Descobri recentemente o som deles e só tenho elogios para fazer. É agradável, simples e é o tipo de música que eu escuto enquanto trabalho: não é alta demais para atrapalhar meus pensamentos e é gostosa o suficiente para me manter animada e me movimentado.

Por fim, escutem o Body Faucet e tirem suas próprias conclusões:


E vocês, o que andam ouvindo de bom? Deixem suas indicações musicais nos comentários!
Mia Fernandes
Comentários do Facebook
2 Comentários do Blogger