-

bebendo socialmente: um guia para a vida

Disclaimer: Sei que esta revelação será chocante, mas eu fui uma menor de idade que não se aventurou com bebidas alcoólicas. Hoje em dia, vejo que o álcool entra na vida das adolescentes cada vez mais cedo e sem querer ser hipócrita, isto me entristece profundamente.
Adolescência é um período para descobertas e novas experiências, mas também é a época em que seu corpo se transforma e se adapta. Álcool é veneno. Não estrague esses maravilhosos anos (dos quais eu garanto que você irá querer se lembrar no futuro) com o abuso de qualquer substância.

Creio que de todas as escolhas que fiz, a mais sábia foi entrar na turma do "beber socialmente" após os 20 anos de idade. Foi uma decisão só minha, em nenhum momento alguém colocou um drink em minha mão. Tive a oportunidade de sentar na mesa do bar e escolher o que beberia. Selecionar cuidadosamente o que me fazia "bem" e não tive que empurrar alguma gororoba barata que o resto da turma estava bebendo.

Dito tudo isto: este é um post para as maiores de 18 anos. Se você ainda não chegou lá, acredite em minha palavra e espere, caso realmente queira um dia experimentar alguma bebida alcoólica - e se não quiser, continue assim. Beber não é tão cool quanto parece. 

Bem vinda ao mundo do "beber socialmente"
Sempre me perguntei: qual é meu diferencial como blogueira? Sei que posso não ter os melhores conselhos de moda/beleza/fitness, mas creio que com o passar dos anos me aperfeiçoei em uma arte na qual posso treinar minhas discípulas: os mistérios de beber socialmente. 

Já vou adiantando que não é fácil. Levei seis anos para aprender tudo que sei e creio que ainda estou bem longe de uma metodologia perfeita. Se você ainda é uma newbie no mundo das bebidas, me dê a mão e vamos embarcar em uma aventura maravilhosa. Prometo que faremos o máximo para que você não termine em um hospital, tomando uma dose de glicose na veia.

Preparando o terreno

Se você fosse uma hashtag seria a #hojetem, né? Pois é, se você tá sempre à postos para o perigo, tem que saber se precaver antes de começar a encher a cara. Entrar despreparada no jogo é para amadores e para atingir o mínimo de profissionalismo nesta brincadeira, siga os passos:

- Se hidrate.
Vai beber de noite? Passe o dia todo bebendo água. O álcool é um forte diurético e o risco de desidratação é altíssimo. Se você manter seu corpo bem hidratado, atenuará os futuros sintomas da ressaca.

- Forre o estômago.
NUNCA vá beber de barriga vazia. Esta é a dica mais valiosa para qualquer bebum. Antes de beber, se alimente bem e dê preferência para as comidas ricas em proteína e gordurosas, elas perduram por mais tempo em seu estômago e ajudam na "blindagem" para a bebida.

São dois passos simples e caso você os siga corretamente, seu corpo não será pego completamente de surpresa pela quantidade de álcool que você irá ingerir a seguir. Não se esqueça: uma linda preparada é uma linda que não termina a noite no helicóptero da Unimed.


O esquenta
Tá bom, gata, não vou te julgar por querer fazer um pequeno esquenta cazamiga antes de ir para o destino final. O preço da bebida sobe vertiginosamente, enquanto seu salário tá menor que o anão que serve shots de tequila na buatchy. Não tem nada de errado em querer "esquentar" um bocadinho naquele boteco pé sujo que vende o litrão por oito reais! Entretanto, tenha cuidado: bebida barata não é motivo para queimar a largada!

Não vale sair do botecão abraçada com a garrafa de Velho Barreiro. Se concentre em uma bebida mais segura, tipo a cerveja. Beba o suficiente para ficar alegrinha e não ultrapasse este limite.


Reconhecendo o território
Depois de andar cinco estações de metrô, levar cantada de indivíduos suspeitos e pegar um táxi somente para andar uma quadra e não chegar a pé em seu destino final, você agora tá pronta para negócios e já tá querendo puxar amizade com o bartender.

Vá com calma, garota! Você ainda terá toda a noite para mostrar seu potencial. Ao chegar no rolê, a primeira coisa que deverá fazer é reconhecer o território:

- Veja bem onde são as saídas do local. O acesso é fácil? Tem saída de emergência?
- Onde estão os banheiros? - não vá esperar sua bexiga estar batendo forte o tambor e fazendo tic tic tac para buscar esta informação.
- Se você se perder dos seus amigos, qual será o local em que vocês vão se encontrar depois?
- Dê uma boa olhada nos boys/girls antes do álcool transformar qualquer egum em magya.
- Olhe o preço dos drinks. Se você não é rycaaaaaaah, é bom já planejar o quanto pretende gastar.

Já fez o reconhecimento do território? Então, segura essa peruca que chegou a hora...

Party Hard
Chegou a hora de deixar seu corpo ser possuído pelo ritmo Ragatanga e consumido pelo delicioso álcool. A regra aqui é óbvia: antes de descer até o chão ~de sainha~, respeite os limites do seu corpo. Uma bebedeira das brabas, geralmente enfrenta três estágios básicos:

Estágio 1: TODO MUNDO É MEU AMIGO ESSA NOITE
Você é a alma da festa. A euforia tomou conta de todo seu corpo.Você nunca havia reparado como sua pele é tão brilhante ou como fica sensual nesta iluminação maravilhosa. É impressão sua ou o número de gatos no local triplicou? Será que não é uma boa hora pra começar a falar em um idioma do qual você só manja o básico? A-mi-ga, segura minha bolsa que essa é minha música e eu vou arrasar no dancefloor. Bora passar o Whatsapp até pra tia do banheiro, afinal de contas, você é amiga de todo mundo essa noite!

Estágio 2: A VIDA É MUITO CURTA PARA NÃO BEBER
Repentinamente, o sono bate e você se pergunta: será que tô ficando velha demais pra toda essa emoção? Se fosse uma pessoa sã, a resposta certamente seria: estou e é melhor parar de beber agora. Mas aí você vê todos aqueles jovens cheios de vitalidade e não quer ser passada para trás. Em uma decisão muito inteligente, você resolve continuar a beber copo atrás de copo, ignorando os sinais do seu corpo que piscam em neon: PARA COM ISSO, SUA MALUCA!
Aí você promete: só mais um drink e eu juro que vai ficar tudo bem! Vou ficar super animada e acompanhar minhas amigas na pixxxxxta
Spoiler: Não existe como pular de volta para o Estágio 1. Daqui pra frente tudo fica pior.

Estágio 3: UM REMAKE DE O EXORCISTA
Quando em um raro momento de consciência, você se vê cercada por umas dez garotas que nunca viu na vida, uma delas segura seu cabelo e diz frases de incentivo, tipo prova de resistência do Big Brother: vai, a gente confia em você! Tu vai ficar bem! Se você passar por essa, pode passar por todas. O Brasil te ama!
E você tá lá, sem os sapatos, com vômito grudado no seu cabelo e abraçando o vaso sanitário com a pouca força que lhe restou. 

O terceiro estágio de uma bebedeira é o que você precisa evitar a todo custo! Ninguém quer ser lembrada como a garota que foi escoltada pra fora do bar e encaminhada para o pronto socorro. Seja sensata e pare no momento em que seu corpo/consciência ordenarem. 

 Evitando o terceiro estágio: KNOW YOUR BOOZE!

Eis que entra uma sabedoria milenar: conheça sua bebida. Jovem padawan, não adianta nada se preparar para o show das poderosas e na hora H, sair virando shot de tudo que te oferecerem. Conhecer cada bebida e os efeitos que ela tem sobre você é essencial.

- Não vá na experiência dos amigos. O que é fraco para ele, pode ser forte para você.
- Não ingira doses absurdas de uma bebida que nunca experimentou na vida.  
- Saiba que cada bebida tem um teor alcoólico diferente e que existe muita diferença entre uma dose de cachaça e uma latinha de breja.
- Se você não tem muita experiência com álcool, existem mais chances de ficar bêbado. Seu fígado metaboliza a substância mais rapidamente e quando você vê, já está chorando e pedindo pra sua mãe te buscar.
- "Queimar a largada" ou beber rápido é muito arriscado. Você não está dando tempo para que seu corpo processe a bebida e as chances de ficar trilouca só aumentam. 

Hora de ir pra casa!

Já curtiu a noite, anotou o telefone de uns gatos, fez umas amizades, o DJ já tá ficando sem repertório e tá tocando Beijinho no Ombro em loop: é hora de dar tchau!
Caso você tenha uma resistência maravilhosa e um fígado abençoado por Deus, talvez isso já aconteça quando o sol estiver raiando e o transporte público circulando normalmente. Mesmo que você dirija e esteja se sentindo bem, NÃO VÁ DE CARRO!

Você sabia que duas latinhas de cerveja são suficientes para atrapalhar sua coordenação motora? Pois é, evite dirigir. Evite o carro dos amigos que "acham" que só precisam tirar dez minutos de soneca, antes de voltar pra casa.

Coloca a dignidade na bolsa e vá de busão/metrô/charrete/insira aqui o transporte público da sua cidade. Sei que você estará bem cansada, mas é importante ficar acordada no trajeto de volta. Pessoas com péssimas intenções tem faro para bêbados e se for pra agarrar a bolsa de alguém e sair correndo, certeza absoluta que vai ser da linda que tá desmaiada lá no fundo do ônibus, indo e voltando do ponto final há aproximadamente cinco horas.

Guarde esse sono pra sua cama! Encarne de novo aquele clima de prova de resistência do Big Brother e mostre ao Brasil que você é guerreira e merece estar na casa.

Outra boa alternativa é chamar um táxi. Minha dica é usar um dos aplicativos que te mandam o nome/placa do carro do taxista para não cair na mão de nenhum sacana. Outra esquema importante é ter um aplicativo de localização aberto (tipo o Waze) e não deixar que ninguém se aproveite do seu estado pra faturar uma grana a mais. 

Bônus: a amiga sóbria!
Existe um tipo de amiga que hoje em dia é raridade: a amiga sóbria. Farei aqui uma lista de garotas com potencial para estar sóbria até no open bar:
- A amiga que tá fazendo um regime maluco (do qual ela certamente não precisa) e tá evitando álcool.
- A amiga que fez promessa pra Santo Antônio e agora precisa cumprir.
- A amiga que é mais esperta que você e tá preservando o fígado para ser vendido em um momento de situação financeira complicada.

Se você tem uma das amigas acima, ela se tornará seu Às na bebedeira. Eis uma lista de situações em que ela poderá te ajudar:
- Ela será a pessoa sensata que não vai te deixar pegar aquele boy magia negra.
- Ela será a pessoa que ficará ao seu lado no hospital, caso você não respeite os estágios da bebedeira.
- Ela será a pessoa que atenderá seu celular e vai garantir para a sua mãe que tá tudo bem e que vocês só passaram pra comer alguma coisinha antes de ir pra casa.
- Ela será a pessoa que vai segurar sua bolsa, seu celular, seu diafragma e qualquer outro item valioso, enquanto você tropeça no dancefloor.
- Ela será a pessoa que te segurará pelos ombros, te balançará e dirá: ACORDA PRA VIDA, FIA! CHEGA DE BEBIDA! ONDE VOCÊ VAI PARAR DESSE JEITO?
- Ela será a pessoa que te abraçará, quando você começar a chorar após essa bronca.

Enfim, se você tem uma amiga sóbria, tá protegida. Tente não estragar esta amizade sendo uma bêbada insuportável.

A conclusão
Linda, beber não é legal, mas se você for beber é preciso ter muita responsabilidade. Vamos mostrar ao mundo, pra mãe, pro pai, para o bofe e pra colega religiosa que te dá olhares de repreensão quando você chega no trampo de ressaca, que dá sim pra beber socialmente e continuar sendo maravilhosa! 
Seja responsável e seja fabulosa!
Mia Fernandes
Comentários do Facebook
1 Comentários do Blogger